Matriz de prioridades para definir o que é urgente e importante


Tudo parece urgente, no fim do dia ficamos cansados e dá a impressão que não fizemos nada. Saiba como a matriz de prioridades funciona e reorganize o tempo.

Compartilhar

Você já ouvir falar na matriz de prioridades ou na matriz de Eisenhower?

Passamos grande parte do nosso dia enrolados com dezenas de pequenas tarefas que, na maioria das vezes, serão procrastinadas.

Isso acontece ainda mais nos estudos. Sabe aquele assunto chato, que você não entende e prefere deixar para um outro momento?

Então, seja no trabalho ou nos estudos, definir prioridades é fundamental para sentir-se mais produtivo no fim do dia.

Vamos conhecer como funciona a matriz de prioridades e como você pode usá-la no dia a dia.

O que é a matriz de prioridades?

Essa técnica de organização também é conhecida por matriz de Eisenhower porque leva em consideração o entendimento de Dwight D. Eisenhower – 34º presidente dos Estados Unidos – sobre urgência e importância.

Acumulamos uma porção de tarefas durante o dia e nem sempre elas, de fato, precisam ser feitas no exato momento em que aparecem. É nesse sentido que a matriz de prioridades nos ajuda.

Coisas importantes nem sempre são urgentes, como por exemplo ver os e-mails. A não ser que você esteja aguardando algo na sua caixa de entrada, você pode determinar alguns pontos/minutos do dia para lê-los e respondê-los ao invés de conferir assim que chegam.

Que tal replanejar a sua semana, utilizando a matriz de prioridades?

Mas calma, não significa que você deve se transformar em um robô, apenas queremos que você torne seus momentos de trabalho ou estudo mais produtivos.

Hora de falar sério é pra falar sério, OK?!

Como a matriz de prioridades funciona?

Bem, a proposta da matriz é que você divida as tarefas em quatro classificações:

  1. urgente e importante
  2. importante, mas não é urgente
  3. urgente, mas não é importante
  4. não é urgente nem importante

Tarefas no primeiro quadro merecem sua atenção imediata, portanto, resolva-as. São coisas críticas e com prazo curto.

Tarefas na classificação 2 podem ser resolvidas com um prazo mais longo e distribuídas em pequenas porções diárias.

Já as tarefas classificadas como 3, podem ser delegadas para outras pessoas ou adiadas, tipo telefonemas, simulados, indicações de webinar ou leitura enviadas por e-mails.

Na classificação 3, se você atender assim que a tarefa surgir, considera-se interrupção, porque não é importantíssimo para dar prosseguimento no seu dia, compreende?

Na divisão 4 são listadas as coisas que distraem a sua atenção e que não são produtivas, tipo redes sociais ou entretenimento.

O macete aqui é pensar criticamente, no início pode ser difícil definir o que é para agora, principalmente, se você não costuma organizar a sua agenda.

Com o tempo você vai perceber que se conseguiu cumprir com as tarefas classificadas como 1 e 2, seu dia foi muito produtivo. Além disso, você estará menos cansado.

E quanto mais tarefas você classificar como 2, significa que você está usando seu tempo de forma estratégica, cumprindo com prazos e planejando suas ações.

Se você não gosta de papel para organizar seu cotidiano, use e abuse das ferramentas digitais e aplicativos.

A lógica é a mesma: tomar decisões e pensar estrategicamente.

Compartilhar

estude gratuitamente
com a kultivi

CADASTRE-SE