A diferença entre aposto e vocativo


A diferença entre aposto e vocativo é fácil de identificar. Aposto é termo acessório da oração e vocativo é termo isolado da oração.

Compartilhar
A diferença entre aposto e vocativo

Você sabe a diferença entre aposto e vocativo?

Saiba que este é um tema recorrente em concursos e pega alguns candidatos desprevenidos.

Mesmo que com estruturas e usos diferentes, a presença da vírgula pode confundir você ao analisar uma questão.

Para que você não cometa mais este erro, vamos relembrar as noções básicas de aposto e vocativo.

Depois de estudar, sugiro que você faça algumas questões para praticar. Isso porque muitas vezes as provas de concurso são complexas e você precisa familiarizar-se com elas.

O que é aposto?

Aposto não tem relação com o verbo apostar (se foi isso que você pensou).

Aqui o aposto pertence aos termos acessórios da oração. Lembra-se deles?

Os termos acessórios são aqueles que, se retirados da frase, não causam prejuízo ao entendimento.

Diferente dos termos essenciais da oração que incluem sujeito e predicado. Obviamente essenciais para a compreensão da mensagem.

São termos acessórios o adjunto adnominal, o adjunto adverbial e o aposto.

O aposto junta-se ao substantivo ou a um pronome e pode estar na frase com a função de explicar algo, enumerar, resumir e especificar.

Ele pode ser usado em uma frase para acrescentar uma informação, geralmente entre vírgulas.

Veja este exemplo:

A Segunda Guerra Mundial, conflito militar entre 1939 a 1945, envolveu as maiores potências da época.

Note que a parte entre vírgulas explica e dá uma característica para a Segunda Guerra Mundial.

Caso não quiséssemos acrescentar esta informação, não haveria problema no entendimento do todo.

Neste exemplo, o aposto exerce a função explicativa.

Função especificativa do aposto

Como o nome já diz, o aposto especifica algum termo da oração.

A cidade de Londres tem alto índice de poluição.

As palavras cidade e Londres são equivalentes em significado, então, o trecho grifado – de Londres – está especificando o substantivo cidade.

Portanto, o aposto especificou uma informação.

Se usássemos Londres tem alto índice de poluição haveria sentido.

Ou A cidade tem alto índice de poluição também faria sentido, caso Londres já tivesse sido mencionada anteriormente.

Função enumerativa do aposto

Na frase, gosto de todos as massas italianas: lasanha, fettucini, talharim, etc. a parte após os dois pontos apenas enumera os tipos de massas italianas. Não apresenta informação nova.

Função de resumo do aposto

No exemplo abaixo, a parte sublinhada resume o que já foi mencionado.

Respeito, paciência e equilíbrio, tudo isso faz parte do convívio familiar.

Novamente, se retirarmos o aposto – tudo isso – não há problema com o entendimento da oração.

Vamos ver agora uma questão já cobrada em concurso.

a diferença entre aposto e vocativo
uso do aposto

O que é vocativo?

Vocativo não faz parte do sujeito e nem do predicado. É um termo isolado da oração e aparece entre vírgulas.

É usado para chamar a atenção do interlocutor. Vemos muito isso na literatura em razão dos diálogos entre os personagens e do narrador com o leitor.

Porém preste atenção, nem sempre o vocativo está no início da frase e nem sempre o vocativo é apenas um nome.

Pode ser um substantivo, pronome ou expressão substantiva.

Vamos ver alguns exemplos:

Dra. Joana, ligaram para você ontem.

Meus queridos amigos, obrigado pela visita.

Quando você começou isto, João?

Calma, minha filha, não precisa correr.

Note que os termos grifados, os vocativos, apenas chamam a atenção do interlocutor e não interferem na oração.

Identificar o vocativo na oração não é nada complicado.

Porém, não caia nessa de achar que o vocativo é o sujeito da oração. Muita atenção ao analisar uma questão.

Vou repetir um exemplo para te ajudar a entender.

Dra. Joana, ligaram para você ontem.

O verbo é ligar, certo? Agora te pergunto, quem ligou?

Não foi a Dra. Joana.

O sujeito desta oração, ou seja, quem exerce a ação de ligar, é indeterminado.

A Dra. Joana é o vocativo e o sujeito é indeterminado.

Vamos observar uma questão de Concurso para memorizar este conteúdo.

uso do vocativo

Tudo entendido até aqui?

Só para reforçar: NÃO confunda vocativo com aposto.

Analise com cuidado a questão e pense na função que o aposto ou o vocativo estão exercendo na frase.

Espero que tenha gostado dessas dicas e até breve.

Compartilhar

estude gratuitamente
com a kultivi

CADASTRE-SE