Microcrédito: o que é e por que às vezes é difícil conseguir?


Conforme definição do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) o microcrédito é aLeia Mais →

Microcrédito: o que é e quais as dificuldades enfrentadas pelos empreendedores.

Conforme definição do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) o microcrédito é a concessão de empréstimo de pequeno valor a microempreendedores formais e informais, normalmente sem acesso ao sistema financeiro tradicional.

Modelo instituído pela Lei Federal nº 11.110 de 25 de abril de 2005 e atualizado pela lei nº 13.636, de 20 de março de 2018, que garante no artigo 2º que:

A renda ou a receita bruta anual para enquadramento dos beneficiários do PNMPO, definidos no § 1º deste artigo, fica limitada ao valor de R$ 200.000,00(duzentos mil reais).

O microcrédito o tipo de empréstimo mais comum, como o do BNDES por exemplo, fornecendo até 20 mil reais.

Como conseguir o microcrédito?

Os bancos analisam a condição financeira do seu negócio, afinal, emprestarão dinheiro se você mostrar que possui condições para cumprir com o compromisso que está acordando com a instituição financeira.

Para isso, antes de ir ao banco, reúna suas finanças, faça contas e reflita se o crédito irá, de fato, aumentar a rentabilidade do negócio.

Então identifique a necessidade da obtenção do crédito, pesquise qual linha de crédito e banco melhor atendem às suas características e elabore um plano para investir o dinheiro.

Algumas linhas de microcrédito prestam consultoria para incentivar o crescimento dos pequenos negócios no Brasil e possuem uma das menores taxas de juros do mercado.

Podem disponibilizar valores e prazos maiores se o empreendedor mostrar que o valor será usado para expansão do negócio. Por isso a importância de apresentar um plano de investimento sólido e compatível com as necessidades da empresa.

Principal erro cometido pelos empreendedores ao solicitar crédito.

Usar o dinheiro de crédito para tapar buraco nas contas do mês não é uma forma estratégica de manter o negócio em pé. Porque sem o controle adequado, se tornará uma bola de neve.

Mas sim, eu sei que às vezes é necessário buscar esse tipo de solução para conseguir organizar o financeiro do negócio. Nem sempre as coisas saem como o planejado não é mesmo?!

Bem, é necessário avaliar a situação com cautela. Pode ser uma solução quando, por exemplo, a empresa tem contas com juros altos.

Nesse caso, você pode solicitar um empréstimo (com uma taxa de juros menor) para quitar essa conta maior.

Novamente, buscar empréstimo para manter as contas equilibradas pode parecer uma boa alternativa, mas se o empreendedor não tiver como hábito o planejamento e organização financeira o problema pode ficar cada vez maior.

Erros cotidianos como o descontrole financeiro levam a mais gastos.

Portanto, o ideal é que a obtenção do crédito seja para um uso consciente e eficiente do dinheiro. Por exemplo, comprar novos equipamentos, melhorar infraestrutura, capital de giro, expandir o negócio.

E para isso também é necessário equilíbrio.

Motivos que dificultam a obtenção de crédito.

De acordo com a Serasa Experian 91% dos microempreendedores têm dificuldade para conseguir financiamento.

A maioria desses empreendedores não fazem o acompanhamento rigoroso de receitas e despesas, não pretendem usar o dinheiro para investir no produto, no aumento da empresa ou na sua própria capacitação.

Por isso tem empréstimos recusados ou enfrentam muita burocracia.

O financeiro do negócio precisa estar em dia e organizado para fazer uso estratégico do dinheiro emprestado. Porque os bancos ou financeiras avaliam fatores qualitativos e quantitativos para conceder empréstimo.

Como por exemplo, a relação que a empresa tem com o banco, se a empresa é boa pagadora, a flexibilização diante das alterações do mercado, capacidade de fluxo de caixa e as garantias que o negócio oferece de pagar o financiamento

No Brasil, 33,61% das empresas mostram instabilidade financeira, conforme aponta a Serasa empreendedor. E a maioria desses negócios é composta por Microempreendedor Individual ou Pequeno Empreendedor.

Ainda nesse sentido, só 19% dos Microempreendedores individuais possuem conta como pessoa jurídica.

A maioria não divide a conta pessoal da profissional, o que retoma o erro já citado nesse artigo de não fazer um acompanhamento rigoroso do financeiro da empresa.

Dicas sobre microcrédito.

É fato que o acesso ao microcrédito contribui para estimular a capacidade empreendedora no país. Então, é uma alternativa valiosa para fazer seu negócio prosperar.

Contudo, busque instituições financeiras que ofereçam as melhores condições de acordo com a necessidade da sua empresa.

E conte com o apoio de consultores das próprias financeiras ou outras instituições que podem sugerir melhorias.

Espero que estas informações sejam úteis para continuar empreendendo e se você tem interesse em aprimorar seus conhecimentos tenho uma dica.

Curso online gratuito da Kultivi sobre Direito Empresarial. Saiba mais sobre títulos de crédito, Sociedade Empresarial e Microempresa. Acesse.

Até a próxima.


estude gratuitamente
com a kultivi

CADASTRE-SE